Filosofia Online


Quinta-feira , 05 de Abril de 2007


Aula do dia 03/04

Teatro – Emprego Desonesto

 

Para a última postagem, dentre todos aqueles temas polêmicos que serviram de bases para o teatro, escolhemos o tema "jovem grávida" para fazer o comentário. Citamos o caso da Lagoa da Pampulha como exemplo de descaso e crueldade por parte de uma mãe que abandou a filha recém-nascida. Ontem, 04 de abril de 2007, dias após esse comentário, nos deparamos com mais uma notícia desse gênero. A foto que você vê abaixo foi registrada no momento em que a polícia ilumina o local onde uma menina recém-nascida, ainda com o cordão umbilical, foi abandonada num matagal no Jardim Primavera, na zona sul de São Paulo. Parece que essa atitude virou a "última moda".

 

 

Enfim, vamos ao tema da última aula. Vimos uma representação sobre um tema que ainda não havíamos discutido: emprego desonesto. Vamos imaginar duas situações: 

1. Uma pessoa trabalha, consegue se manter e sustentar sua família com o seu emprego e aparece uma outra oportunidade, um emprego desonesto onde o seu salário seria maior, o que permitiria que ele conquistasse várias coisas materiais;

2. Um pai de família desempregado há muitos anos, sem muita qualificação profissional, encontra uma oportunidade de emprego desonesto, que permitiria que ele comprasse remédios para a sua esposa doente e comida para toda a família que passa fome. 

De fato existe o que o grupo comentou na conclusão do teatro, afirmando que o que é considerado ético por mim pode não ser considerado ético para os demais. Mas as atitudes eticamente aceitas valem para todas as pessoas, tanto para a pessoa do primeiro caso como para a do segundo. Sabemos que aceitar um emprego desonesto não é uma atitude eticamente aceita; sabemos que é errado. Porém, se você fosse o pai de família da situação 2 você estaria mais preocupado com a ética ou com a sua esposa adoecendo e sua família passando fome? É fácil dizermos o que é certo ou errado e julgar as pessoas quando não estamos vivenciando a situação. Não estamos afirmando que é certo alguém aceitar um emprego desse tipo porque passa por dificuldades financeiras, mas nesse caso, vamos dizer que é "compreensível". Por outro lado, imagine como seria se todas as pessoas que enfrentam dificuldades econômicas aceitassem oportunidades de emprego desonesto; haveria mais desorganização e roubalheira nesse país. Certamente se tivéssemos no Brasil uma distribuição de renda mais justa, muitos desses casos não existiriam, as pessoas não teriam que aceitar empregos desse tipo ou roubar comida de uma venda para "matar" a fome, que foi o tema do teatro do nosso grupo. 

Com o intuito de chamar a atenção para essa desigualdade social, integrantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) fizeram, na data de ontem, um protesto em frente à Daslu, na zona sul de São Paulo. Os 200 manifestantes foram felizes na escolha do local; afinal, seria possível encontrar lugar melhor do que esse para chamar a atenção para essa diferença social tão “gritante”?!

 

 

 

Escrito por dstrolezi às 10h16 PM
[ ] [ envie esta mensagem ]

Domingo , 01 de Abril de 2007


Aula do dia 27/03

Teatro - Jovem Grávida

 

Todos nós sabemos que criar um filho nos dias de hoje não é uma tarefa fácil, principalmente se os pais são jovens totalmente despreparados, sem experiência de vida e sem apoio dos pais e familiares. Porém, sabemos que não é justo tirar a vida de ninguém, negar a um ser (que já está se desenvolvendo dentro de um útero) a chance de viver, crescer, cair, erguer-se, chorar e sorrir por causa de uma irresponsabilidade dos pais.

Essas “crianças”, que irresponsavelmente geram outra criança, têm que arcar com todas as responsabilidades. Na maioria dos casos, esses jovens perdem a juventude, oportunidades de estudo e emprego, pois nem sempre eles conseguem o apoio dos familiares.

Uma criança pode ser um peso ou uma dádiva; muitos casais só se dão bem após o nascimento de um filho, assim como os avós só aceitam a gravidez após o nascimento da criança.

Sabemos que o melhor caminho mesmo é a prevenção, evitar que isso aconteça, usando todos os métodos contraceptivos que temos a disposição, procurando saber cada vez mais sobre o assunto.

O que frequentemente temos visto nos noticiários são mulheres que abandonam seus filhos recém-nascidos em latas de lixo ou lagoas.

                       

Um dos casos mais famosos aconteceu em janeiro do ano passado, quando a promotora de vendas Simone Cassiano da Silva colocou sua filha recém-nascida dentro de um saco plástico de lixo e atirou-a na Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. Para a sorte da pequena criança, um homem e uma mulher que voltavam de uma caminhada ouviram o que parecia ser um miado de um gato e avistaram o embrulho próximo à margem da lagoa.

O importante não é só o fato de não cometer o crime do aborto. Uma vez que uma vida foi gerada, seja pela vontade ou irresponsabilidade dos pais, é direito da criança receber toda a assistência que ela precisa.

Escrito por dstrolezi às 12h17 PM
[ ] [ envie esta mensagem ]